Iris Apfel


Meninas, na Elle deste mês, tem uma matéria sobre a fascinante Iris Apfel, uma figura interessantíssima.
Goastei tanto que vou reproduzi-la aqui para vcs tb conhecerem.
Vale a pena.
Enjoy girls…

Fã de acessórios impactantes, a decoradora novaiorquina mostra que aos 90 anos é possível ser ícone fashion.Por Mário Araujo.

Em setembro de 2005, o Metropolitam Museum of Art ( MET), em Nova Iork, ianugurou a mostra Rara Avis: Selections from the Iris Barrel Apfel Collection. Foi a deixa perfeita para o mundo conhecer um pouco mais do estiloo de uma das mulheres mais criativas dos Estados Unidos, como destaca o curador do MET, Harold Koda.”Para se vestir como Iris Apfel, é preciso ter um senso estético muito apurado”, disse Koda na época, em entrevista ao The New York Times. “Penso comigo mesmo: não tente fazer isso em casa.”

Nascida no Queens, Iris cresceu cercada de estímulo visuais. Seu pai possuía uma pequena loja de vidros e espelhos e colaborava com alguns dos mais importantes decoradores da época. Já sua mãe, dona de umabutique, a introduziu cedo no mundo de manequins e roupas- aos 8 anos, ela teve a primeira crise fashion, ao não se dar por satisfeita com as roupas que tina para sessão de fotos familiares.
A fixação pelo visuala acompanhou também na juventude. Na década de 1940, quando o guarda roupa das mulheresera pautado pelo look tailleur com ombreira e cintura ajustada, típico da Segunda Guerra Mundial, Iris decidiu que usaria jeans. “Fui a uma loja do Exército em Wisconsin, pois eles eram os únicos que vendiam a calça na cidade. Mas tudo era grande demais”, contou em entrevista ao Peabox Essex Museum, em Salem, Massachusetts.”Pedi um par que coubesse em mim e me disseram:”Talvez a senhora não saiba, mas mulheres não usam jeans”. Eu os deixei loucos ligando todos os dias para saber se havia chegado um número menor. Até que um dia, o proprietário encontrou uma calça Levi´s masculina, pquena o suficiente para mim”.
A insistência tinha motivo:Iris criou em sua cabeça o look perfeito- jeans, turbante e brinco de argolas gigantes. Mal sabia a designer que quase 70 anos depois, o denim se tornaria uma espécie de uniforme dos tempos modrnos, e os tais acessórios ( assim como os imensos óculos redondos), sua marca registradas.
Em 1948, ela se casa com Carl Apfel, com quem está até hoje. A união rendeu a abertura da empresa especializada em tecidos e decoração, a Old World Weavers, a qual foram proprietários até 1992 e que tinha, entre seus clientes estrelados, Greta Garbo, Estée Launder e Marjorie MerriweatherPost, Além da Casa Branca, para onde realizaram projetos para nove presidentes dos Estados Unidos, sendo o último no mandato de Bill Clinton (1993- 2001). Apesar da venda, Iris continua na companhia como consultora de projetos especiais e não pensa em se aposentar tão cedo. Foi graças à empresa, aliás, que Iris conheceu o mundo e apurou cada vez mais seu estilo único.]Como trabalhava com tecidos exclusivos e raros, a Old World Weavers mantinha um escritório na França e outro na Itália\( que intermediava os negócios com a África, Ásia e Oriente Médio).
O PODER DOS DETAALHES

O legado dos acessórios vem desse mix cultural – ela adora peças étinicas- e de sua bagagem familiar.
“Minha mãe era uma pessoa muito chic, que sempre me dizia que não importa se temos apenas um vestido pretobásico desde que o usemos os colares e as pulseiras corretos.Podemos transformar a mesma peça em inúmeros looks, sem nunca nos repetir, se acertqarmos essa matemática”.
Com um poder único de combinar peças mais diferentes origens (de objetos de alta-costura a pechinchas garimpadas em mercado de pulgas), ela virou uma referência e uma figurinha fácil nos blogs e nas colunas sociais de Nova York. Não à toa, a Coach a convidou para estrelar sua campanha de 2008 e a MAC fechou uma parceria com ela e colocou no mercado, em janeiro deste ano, uma linha de beleza, em coautoria.
Iris passou, enfim, a ser referência para uma geração acostumada a consumir o que as recistas de moda e as lojas fast fashion apresentam. Trouxe de volta, de certa forma, a necessidade de ter estilo e pensar sobre moda de uma maneira mais crítica, e não apenas reproduzier e copiar modelos.
“Procuro mostrar para os jovens que a moda é muito mais do que roupas, é uma foram de se expressar para o mundo. O jeito de compor um look revela muito sobre você, seu conhecimento e cultura”. explicou Iris na entrevista que deu a ELLE.
Apaixonada por pulseiras, óculos e afins, a designer, mesmo optandopor roupas rebuscadas, gosta de deixar os acessórios em destaque. Conta que sempre se vestiu assim, que não mudou depois que a mídia voltou a atenção para ela. “Fico feliz que na mina idade não seja um tabu e que as marcas entendam que uma mulher mais velha pode ser um ícone capaz de vender produtos”, diz ela, do alto de seus 90 anos.
Para Iris, vestir-se é uma experiência criativa. “Você nunca sabe qual será o resultado. O mais importante é encarar a moda como foram de expressão. Seja livre. Voçê só tem uma viagem.O negócio é aproveitá-la ao máximo!”.

Gostaram meninas? O máximo né!!!

Não tem idade para ter estilo e personalidade marcante…

Posts Relacionados

1 comentário

  • Ana Secani
    17/05/2012 at 4:06 PM

    Fantastic!! I love so much it!! Old Style!! Tenho certeza que serei assim!! 😉

LEAVE A COMMENT

Autora


ViCk Sant' Anna

Facebook FanPage

Conheça mais

Parceiros